Transição de carreira em tempos de crise

No meio de uma crise é loucura pensar em mudar de trabalho ou carreira?

Existe um conto sobre um discípulo e um sábio que juntos foram visitar uma família pobre. Uma vaca leiteira era o único meio de sustento da família na ocasião.

O aprendiz recebeu a ordem do mestre para empurrar a vaca no precipício quando a família se afastara. Ele cumpriu a ordem contrariado, depois afastou-se do mestre e culpou-se pelo ato durante muito tempo.

Anos depois, retornou ao local curioso para saber como a família pobre sobrevivia e surpreendeu-se com a prosperidade daquelas pessoas, que agora viviam em riqueza.

Questionou à família o que ocorreu, e eles contaram: “depois de perder nossa vaca por conta de um acidente no precipício, não tivemos outra alternativa a não ser buscar trabalho, e assim, descobrimos nossas capacidades e as potencializamos.”

Podemos tirar inúmeras contribuições deste conto:

  • O quanto escolhemos ficar acomodados, quando podíamos potencializar nossas capacidades e criar oportunidades?
  • Será que precisa haver uma crise externa, que te empurre para escolher expansão? Ou você pode fazer escolhas para prosperar de forma leve, sem empurrão, em qualquer tempo?

Se você pensa, por alguma razão, que mudar de carreira ou trabalho é uma alternativa viável para você, por qual motivo está associando isso a loucura ou a um ato insano? Quantas oportunidades existem em uma crise? Será que este é o seu caso, pergunte-se e reflita.

O que é mudança para você?

Se você perguntar o que significa mudança e o qual o pior que pode ocorrer em um processo de mudança para você mesma, você encontrará quais são seus maiores receios e temores com relação a uma transição, e o motivo disso te assombrar tanto.

Por exemplo, se mudança significa romper com o passado, e por consequência fazer rompimentos é doloroso, você já está associando que haverá dor e sofrimento nesta transição.

Se você fez alguma mudança que deixou marcas, como uma simples mudança de endereço e isso te deixou com imensa saudade por afastar-se de um bairro que gostava, você pode associar que haverá perdas.

E que tal se nós ressignificarmos tudo isso?

Ressignificar é trazer novos pontos de vista para a mesma situação, de forma a abrir espaço para melhores escolhas.

Quem disse que você precisa romper com todo o passado? Quantas pessoas e atividades poderá manter mesmo com a mudança?

Quanto peso ou drama você está colocando no rompimento, quando poderia escolher focar na expansão, prosperidade e novas possibilidades que trará para sua vida? 

O quanto está temerosa por dar importância para perdas, quando poderia escolher preencher-se com todas as oportunidades de desenvolvimento, aprendizado e de aventurar-se em viver novas experiências?

Quem disse que você vai deixar de ser alguém para ter outra profissão, quando você irá na verdade ampliar mais atividades?

E por fim, qual é o problema de voltar atrás depois e começar outra vez se for preciso?

Trazer estes novos pontos de vista não querem dizer que é para você optar pela mudança agora ou não. Só você saberá realmente. Confie em você. E se as dúvidas continuarem, sugiro que busque profissionais e ferramentas que possam te ajudar a se entender melhor.

Quanto mais você aprofundar no “como você funciona”, mais ajudará a expandir consciência e acessar “o que é melhor para você” e assim trará a segurança que procura para tomar decisões.

Priscilla Leão
Life Coach e Facilitadora de Barras de Access

*Esse texto faz parte do E-book Terapia da autora

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.