As pessoas gostam de participar dos nossos sonhos

Acredito que um dos principais desafios de nossas carreiras é ter com quem compartilhar as nossas ideias. Elas estão muitas vezes embaralhadas em nossa mente.

Queremos compartilhar as experiências que vivemos e aquelas que estamos com receio de viver. Desejamos falar de projetos que há tempos estão engavetados esperando uma dose extra de segurança, das decisões que precisamos tomar ou daquelas que não tiveram um desfecho positivo. Precisamos dividir os pensamentos, as dores e os desafios que todo movimento pessoal e profissional traz.

Quando fiz minha transição para a area de desenvolvimento humano, o conceito de Mentoria entrou na minha vida e transformou a minha carreira.

Mentoria não é algo novo e cada vez mais as organizações vêm abraçando a ferramenta como forma de desenvolvimento de pessoas e na preparação de líderes.

Assim como as grandes corporações, eu formei o meu próprio board  – conselho de diretoria pessoal. “Contratei” mentores e também fui “contratada” por vários mentorados.

Esse board pessoal nada mais é que um grupo informal de conselheiros, de mentores e pessoas que nos inspiram. Esse conselho nos auxilia em momentos decisivos da nossa carreira, em situações específicas do nosso negócio e a lidar com os autos e baixos. São pessoas que nos trazem insights e nos fazem olhar para novas oportunidades.

Muitas vezes, a rotina do nosso dia-a-dia acaba viciando o nosso olhar e limitando o nosso pensar. Com o suporte desse grupo, podemos contar com diretrizes mais claras para atingirmos nossos objetivos e identificarmos interferências nem sempre vistas por nós ou por nossos familiares.

No meu ponto de vista, as principais vantagens em se ter um board pessoal é o ambiente de aprendizado e de conexão que se forma. O aprender por experiência, o aprender com o outro.

Não há a questão financeira envolvida nessa parceria, e sim uma genuína vontade de contribuir com o crescimento e desenvolvimento do outro.

Pensou em formar o seu time de mentoras?

Para facilitar a escolha, pense em quem você contrataria se pudesse. Quais são as características dessa pessoa? Qual é a experiência dela? Como ela poderia contribuir com você?

Escolha mulheres:

  • que você admira e respeita;
  • que você possa aprender com elas e que agreguem valor;
  • que você confie plenamente e que transmitam segurança;
  • que serão estratégicas e precisas em suas avaliações;
  • que sejam mentoras que possam lhe indicar para outras mentoras;

“A melhor maneira pela qual um mentor pode preparar outro líder é expô-lo a outras pessoas excelentes.”

John C. Maxwell

Na construção desse conselho pessoal, é importante não buscar somente por amigos ou por pessoas que irão concordar com tudo apenas para não nos desagradar. A equipe deve ser composta por pessoas que realmente se importam conosco. Ela precisa se comprometer com o nosso crescimento, dando feedback sobre nossos comportamentos e ações de maneira sincera. Pense também na diversidade de faixa etária desse grupo.

A ideia é que você tenha profissionais com experiências e visões diversas, afim de que as discussões possam contar com um maior número de pontos de vista.

“Se os seus mentores lhe disserem somente o quanto você é incrível, é hora de encontrar outros mentores.”

Essa equipe não vai fazer o trabalho por você, mas com você.

O interessante dessa relação é que ela não precisa necessariamente ser feita de maneira formal. Talvez o que você precise de sua mentora possa ser resolvido em uma simples ligação, um rápido encontro, uma ideia ou um conselho.

É fundamental que as conversas tenham um propósito claro e um objetivo definido, pois assim se evita que a mentora se torne um “muro de lamentações.”

Para que a relação seja positiva, é primordial mostrar o quanto você valoriza a doação de tempo e de energia, além da contribuição dessa pessoa nos seus movimentos de vida e de carreira.

Com o tempo os projetos mudam e os desafios também. Esteja sempre buscando novos membros para o seu conselho.

Mas no final das contas, lembre-se: tome suas decisões com consciência, clareza e autonomia.

E você, já tem um board de diretoria pessoal?

Pensou em alguém enquanto lia esse texto?

Para qual desafio você contrataria uma mentora?

Compartilha aqui a sua experiência!

Um grande abraço,

Roberta Miranda
Idealizadora Creative Women

2 respostas
  1. Deize Andrade
    Deize Andrade says:

    Olha só, Roberta!
    Ah… eu tenho um conselho espetacular, do qual você faz parte! E a sintonia? Ia publicar hoje cedo um post sobre mentoria no LinkedIn e por um imprevisto, tive que deixar para amanhã. Tudo a ver com o seu artigo!
    Um abraço!

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.